29/06/2017

MICHAEL CAMILOTO


O TheMenStyle entrevista: Michael Camiloto.

É natural de qual cidade?
Sou natural de Realeza-PR, mas minha família mora em Vargeao-SC desde que eu tinha 7 anos.

Hoje você reside em NY, como é morar longe do seu país?
Sinto bastante falta e pretendo voltar um dia, mas já moro fora há 13 anos, então já estou acostumado. Eu sempre passo Natal e Ano Novo no Brasil, o mais difícil é deixar o sol e a praia do começo de janeiro diretamente para as tempestades de neve daqui.

Como é sua rotina na Big Apple?
Estou sempre entre trabalhos, castings e viagens. Nas horas de folga eu gosto de praticar esportes, futebol e futvoley sao os meus favoritos. Gosto de aproveitar a cidade tbm, aqui tem sempre algo novo para se conhecer ou descobrir.

Conta pra gente seu passado como jogador de futebol.
Eu sai de casa com 13 anos para morar em Caxias do Sul e jogar futebol. Cheguei a ser Campeão Gaucho juvenil, mas tive uma lesão no joelho e acabei sendo dispensado quando tinha 17 anos.
 
Como você começou a carreira de modelo?
Meu começo foi bem inusitado, coisa de destino mesmo. No mesmo dia que fui dispensado pelo Caxias eu fui a um shopping da cidade porque o goleiro do nosso time ia participar de um desfile, até então eu nem sabia que a profissão de modelo existia. Eu estava vendo o desfile e ainda muito triste com a notícia que tinha acabado de receber, quando a Simone Lopes, da antiga Marilyn de Porto Alegre, me abordou e perguntou se eu era modelo. Conversamos um pouco e combinamos de eu ir conhecer a agência. Nessa visita  fiz minhas primeiras polaroids, que a Simone mandou para o Anderson Baumgartner em Sao Paulo e ele adorou.
Ainda tentei seguir na carreira de jogador de futebol pois era o meu sonho, fiz testes no Guarani e no São Paulo mas não fui aprovado. Quando fui reprovado pelo São Paulo resolvi ir conhecer a agencia pois já estava na cidade. Acabou que nem me deixaram mais voltar pra casa, fui ficando por causa de castings e trabalhos e só depois de 3 meses que fui buscar minhas coisas para me mudar em definitivo.

Qual foi o primeiro trabalho de peso? E qual ficou guardado na sua memória.
Foram 2 me marcaram bastante. O meu primeiro editorial para uma grande revista que foi a L'uommo Vogue e logo depois que esse editorial saiu eu peguei a minha primeira campanha importante que foi a da Gucci por toda a novela que aconteceu. Eu estava bookado para a campanha quando ainda morava em Paris e não tinha visto para entrar nos EUA. Tentamos tirar meu visto em Paris, mas a fila de espera para a entrevista era de mais de um mês e o trabalho ja seria na semana seguinte. Acabou que eu fui para Portugal e consegui tirar o visto em 2 dias. O plano inicial era eu voltar para Paris, pegar minhas malas e ir para Los Angeles onde seriam as fotos, mas eu perdi meu voo e tive que ir direto de Lisboa para Los Angeles praticamente com a roupa do corpo. No final das contas consegui chegar a tempo e essa campanha foi o grande divisor de águas na minha carreira.

Quando foi que percebeu que tinha chegado lá? Digo, teve um trabalho que lhe fez cair na real?
Acho que foi essa campanha da Gucci, quando me vi no ranking do models.com entre os 5 melhores do mundo também foi algo que marcou bastante.
Já chegou a recusar algum trabalho?
Sempre dei sorte com minhas agencias, eles sempre filtraram os trabalhos e sempre chegamos num consenso, não lembro de recusar algum trabalho discordando dos meus bookers, mas já recusamos uma campanha de perfume da Versace porque eles não queriam parar o suficiente.

Você citaria uma modelo com qual gostou de trabalhar?
Gisele Bundchen! Nunca fotografei com ela, fiz apenas um desfile, mas ela tem uma presença muito marcante, merece tudo que conquistou.

E no mercado masculino, qual modelo você citaria como uma inspiração?
Lembro que logo que comecei o Anderson me mostrou o book do Renne Castrucci, ele estava fazendo varias campanhas importantes na época e eu também queria estar nessas campanhas. Depois nos conhecemos e hoje somos grandes amigos.

Qual desfile deu aquele frio na barriga em fazer?
Todos! Até hoje tenho frio na barriga antes de entrar na passarela.

Uma marca que gosta vestir.
Sou muito básico no dia a dia, uso jeans da Diesel e camisetas lisas da Zara. Mas tenho uns 4 ternos da Armani, que o meu estilista favorito.

Uma viagem a trabalho que citaria como inesquecível.
Para Ibiza fotografar a Campanha da Giorgio Armani, como disse, é meu estilista favorito.

Qual peça de roupa do armário masculino você acha essencial.
Cueca! rs

Fala um pouco da sua carreira, de tudo que você percorreu até aqui.
Eu tenho muito orgulho da minha carreira, trabalhei para as melhores marcas do Brasil e do mundo, fotografei para as melhores revista e com os melhores fotógrafos, me sito bastante realizado. Cheguei onde cheguei com muita dedicação e seriedade, nunca tive problema com nenhum cliente ou agencia e por muitas vezes coloquei minha carreira como prioridade. Olhando para trás, não mudaria muita coisa.

Hoje você é um dos principais expoentes da moda masculina no país, já maduro e com uma carreira de sucesso. Ainda tem sonhos e metas a realizar?
Acho que os modelos perderam o prazo de validade que tinham quando comecei, principalmente as meninas. Eu tenho 31 anos e acho que ainda tenho lenha para queimar, mas tenho meus projetos paralelos, invisto no mercado imobiliário e no mercado financeiro, alem disso sou sócio de uma empresa de aluguel de câmeras de video de alta qualidade. Quero continuar com meus projetos e futuramente até partir para uma nova profissão, mas se aparecerem trabalhos legais quando eu tiver 40 ou 50 anos, por que não neh?

The MenStyle